9 de junho de 2009

Personagem: Título de Cidadão Campineiro: Regina Márcia Moura Tavares, José Soares Marialva e Rodolpho Caniato

Neste dia 09 de junho de 2009; três personagens serão homenageados com o título de "Cidadão Campineiro". Os três são integrantes da Associação Brasileira Carlos Gomes de Artistas Líricos (ABAL CAMPINAS).


Profa. REGINA MÁRCIA MOURA TAVARES

Licenciou-se em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo em 1964 e realizou toda sua pós-graduação em Antropologia na mesma Universidade.

Foi professora de Antropologia Cultural na própria U.S.P. e depois na PUCCAMP titular da mesma disciplina e de Cultura Brasileira totalizando, em 1998 quando se aposentou, 30 anos de vida acadêmica.

Fez significativas contribuições na área da pesquisa e da extensão enfeixadas em livros e em mais de 40 artigos (vide alguns em anexo) publicados em revistas nacionais e internacionais, abordando temas relacionados com a Cultura da Velhice, Centros Culturais, Preservação do Patrimônio Cultural, Educação e Desenvolvimento.

Durante sua longa trajetória universitária exerceu vários cargos administrativos e de consultoria, a saber:
1.Diretora do Instituto de Artes e Comunicação - IAC PUCCAMP (de 1981 a 1983); 2.Coordenadora do Museu Universitário - PUCCAMP (de 1985 a 1998); 3.Membro do Conselho Municipal de Turismo (1985); 4.Diretora do Centro de Cultura e Arte - PUCCAMP (de 1987 a 1998); 5.Consultora do Ministério de Educação e Cultura (de 1987 a 1992); 6.Presidente da Comissão Permanente de Vestibular PUCCAMP (de 1985 a 1987); 7.Membro do Conselho de Preservação do Patrimônio Cultural de Campinas - CONDEPACC (de 1988 a 1993); 8.Membro do Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo - CONDEPHAAT (de 1989 a 1993);
9.Consultora “ad hoc”do Conselho Nacional de Pesquisa para assuntos de Museologia (desde 1990); 10.Membro do Conselho Municipal de Cultura de Campinas (de1991 a 1993)
11.Conselheira do ICOM-Brasil (Conselho Internacional de Museus) (de 1993 a 1999); 12.Conselheira do ICOFOM – Comitê teórico do Conselho Internacional de Museus – ICOM, no biênio 2005/2007; 13. Consultora da Unesco; 14.É membro da Academia Campinense de Letras.

Criou e estruturou órgãos universitários, fóruns de discussão nacionais e latino-americanos , bem como o programa de ação cultural “Brinquedos e Brincadeiras Tradicionais : Patrimônio Cultural da Humanidade” o qual recebeu o selo da Unesco “Década Cultural Mundial “, em 1990. Seu livro, de mesmo título, foi reeditado em 2004 com o apoio daquela organização internacional.

Em 2004 , o projeto acima referido foi selecionado pelo COMISSARIADO BRASILEIRO- MINC e MRE -Ministério das Relações Exteriores, para integrar o evento “SAISON BRÉSIL- FRANCE 2005”.

Regina Márcia pronunciou centenas de conferências no Brasil e no Exterior ao longo de seus quase 40 anos de vida profissional, tendo como tema central de seu trabalho a Preservação do Patrimônio Cultural e suas relações com a dinâmica das sociedades.

A partir de experiências bem sucedidas que foi observar no Canadá em 1994, vem trabalhando numa proposta que associa a Preservação do Patrimônio Artesanal Brasileiro à Economia – MUSEU-EMPRESA, a qual tem condições de oferecer uma alternativa de emprego digno aos detentores de um saber cultural da mais alta importância para a identidade do país, bem como promover o Desenvolvimento Sustentável através, entre outros, do Turismo Cultural.

Com formação musical desde a juventude, Regina Márcia aproveita o tempo da aposentadoria, entre outros, para se dedicar ao canto lírico, atividade artística que lhe dá imenso prazer.




Médico Veterinário JOSÉ SOARES DE MARIALVA



Nasceu em Mogi das Cruzes, São Paulo, em 27 de janeiro de 1933.

É médico veterinário. Viúvo de sra. Lurecilda Marialva. Em suas atividades como Tenor Lírico estreou no Teatro Municipal de Campinas em 1962.

Conserva muitas participações em Semanas de Carlos Gomes. Em 1968 foi convidado pelo Maestro Armando Bellardi, regente que encenou praticamente todas as óperas italianas de Carlos Gomes no Teatro Municipal de São Paulo e no exterior, para interpretar o papel de tenor principal da ópera “Lucia di Lammermoor”, de G. Donizetti (como Edgardo), em 1970 participou da apresentação da ópera Il Guarany, na inauguração do Teatro Municipal Castro Mendes.

Integrou o grupo de cantores internacionais no primeiro concerto profano na Catedral de St. Patrick, em Nova Iorque, em 1970. Desempenhou o papel de Alfredo Germont na ópera “La Traviata”, no Teatro Castro Mendes, regida pelo Maestro Diogo Pacheco, em 1971.

Foi escolhido para integrar o elenco formado por artistas dos Teatros Municipais do Rio de Janeiro e de São Paulo para a apresentação da ópera Il Guarany, de A. Carlos Gomes, na cidade de Palermo, na Itália. Participou em seis récitas da ópera “La Traviata”, de Verdi, no Teatro Municipal Castro Mendes, em Campinas, em 1976.

Esteve também no elenco da ópera “Lakme”, de L. Delibes, regida pelo Maestro Simon Blech, no Teatro Colón de Buenos Aires, em 1978. Na Itália, no Teatro Bellini, da Catania, cantou no elenco da ópera “Il Barbieri di Seviglia”, de G. Rossini, em 1984. Participou de concerto no Carnegie Hall, de Nova Iorque, em 1986. Em 1981, com a preocupação de elevar o nome de Campinas e seus filhos ilustres, contribuiu como co-fundador da Associação Brasileira Carlos Gomes de Artistas Líricos – ABAL Campinas. Em 1998, por ocasião do Festival Carlos Gomes, recebeu da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo o diploma de “Melhor Intérprete de Carlos Gomes”, conferido por uma banca formada por renomados maestros do Teatro Municipal de São Paulo.

Escreveu a peça “Glória e Música do Tonico de Campinas”, baseada na vida e obra de Antonio Carlos Gomes, apresentado pela ABAL Campinas no Mês Carlos Gomes de 2003.

Por três mandatos foi presidente do Conselho Deliberativo do Instituto de Fisioterapia de Campinas. Fundou, juntamente com outros empresários, a ABRAVEL – Associação Brasileira de Revendedores de Veículos e também a ABAC – Associação Brasileira de Administradores de Consórcios, das quais participou de vários postos eletivos em suas diretorias.

Para a ABAL Campinas, como Diretor de Patrimônio, desenvolveu o Troféu “Defensor das Artes”, que premiou beneméritos, incentivadores culturais, autoridades municipais, estaduais e federais.




Prof. Dr. RODOLPHO CANIATO

Prof. Dr. Rodolpho Caniato e esposa.

Nascimento: 13 de julho de 1929, Rio de Janeiro, RJ.

Escolaridade Fundamental

Colégio Teuto Brasileiro, Copacabana, Rio de Janeiro (apenas primeira série e parte da segunda, 1936 e 1937); Cinco anos de interrupção por mudança da família para zona rural onde não havia nem escola nem qualquer lâmpada (Corrupira) de 1938 a 1943; Colégio Salesiano Santa Rosa, Niterói, RJ, (1941-1946), admissão e parte do ginásio; Colégio Rui Barbosa, Rio de Janeiro, última série do ginásio (1947); Colégio Juruena, Rio de janeiro (todo o “científico”), entre 1948 e 1950.

Formação Superior (Matemática e Física)

Bacharelado e Licenciatura (de 1951 a 1956); PUC do Rio de Janeiro (Faculdade de Filosofia); USP (Faculdade de Filosofia); PUC de Campinas (Faculdade de Filosofia); Outros cursos: para Professores de Física(AEC) PUC do Rio, 1958 e “PSSC” Physics (com os autores americanos), USP 1962; Cursos de especialização no exterior: Universidad Nacional de Chile : “Advanced Topics” e Reed College, Oregon, USA: “Vibrations and Waves”.

Doutorado: Doutor em Ciência (1974)

Instituição: Depto. de Física da UNESP (Rio Claro); Orientador: Prof.Dr. José Goldenberg (IFUSP); Tese: “Um Projeto Brasileiro para o Ensino de Física” e Avaliação: “Distinção com Louvor”.

Outras atividades em Campinas

Montagem do telescópio da PUCC (1955), na época o aparelho de maior porte no geêero, na região e que serviu às disciplinas de Mecânica Celeste, Física e Cosmografia. Nessa ocasião foram determinadas e registradas no local, em placa de bonze as coordenadas do local:Latitude e Longitude; Sugestão, criação e docência da disciplina “Cosmografia”, destinada aos estudantes de Geografia da PUCC, a partir de 1956; Docência de Matemática no Colégio “Lencastre” (1955); Docência de Física na terceira série do “científico” do Liceu Salesiano (1956) e Consultor técnico da empresa Atlantic Refining Co. of Brazil (1953-1969).

Instituições em que exerceu docência superior.

PUC de Campinas (1957-1969): Professor de Cosmografia (de 1957 a 1963); Professor Assistente da cadeira de Física (de 1957 a 1964); Professor de cadeira de Física (de 1964 a 1969); Chefe do Departamento de Matemática e Física (1966-1969); UNESP (Depto. de Física, Rio Claro, de 1970 a 1974); Laboratório de Física (1970 a 1972) e Instrumentação para o Ensino de Física (1972 a 1974).

UNICAMP (1972-1976): Prática de Ensino de Física (1972 a 1976); Instrumentação para o Ensino de Física (1976); Práticas de Laboratório (1976); Cursos para Professores em vários países da América Central, em nome da UNICAMP, CLAF e “Itamaraty” e Produção de fotografias estroboscópicas.

USP: Instituto de Física (como professor visitante, 1976 a 1978); Cursos para Professores do Ensino Médio (em serviço); Produção de fotografias estroboscópicas e Seminário.

UFRRJ (de 1977 a1993): Docência de Cursos de Pós-graduação para professores de Física e de Matemática (lato senso); Pesquisa sobre conceitos no Ensino fundamental; Desenvolvimento de um Projeto de Primeiro Grau; Treinamento de Professores do Primeiro Grau; Coordenação de muitos projetos; Docência de curso de Filosofia da Ciência para o mestrado; Orientação de tese de mestrado e Docência de cursos em diversos países da América Central e Caribe, em nome do CLAF(1).

Países em que ministrou cursos sobre seus próprios livros: Honduras (Tegucigalpa), 1974. Patrocínio “CLAF”(1); Honduras (Tegucigalpa), 1975. Patrocínio do “Itamaraty”(2); Guatemala (Guatemala),1976. Patrocínio do “Itamaratí”(2); Costa Rica (San José), 1979. Patrocínio do “CLAF”(1); Panamá (Panamá), 1980. Patrocínio “CLAF”(1); Panamá (Panamá), 1981. Patrocínio “CLAF”(1); Manágua (Nicarágua), 1983. Patrocínio “CLAF”(1); Argentina (Mar Del Plata), 1985. Patrocínio “CLAF”(1) e Republica Dominicana (Santo Domingo)1985 “CLAF”(1); República Dominicana (Santo Domingo),1986, pela UNESCO; Equador (Quito), 1988 Patrocínio “CLAF”.

Cidades em realizou palestras ou seminários fora do Brasil: Caracas (Venezuela). Simpósio de Física; Oaxtepec (Mexico), congresso sem Ensino de Física; Cidade do México (México). Ensino /Educação; Mar Del Plata (Argentina). Seminário alem do curso para professores; Kingston (Jamaica, 1986). Semiinário; Santo Domingo (República Dominicana). Conferência além dos dois cursos; Córdoba (Argentina). Conferência; Villa de Leiva (Colômbia). Seminário/congresso; Quito (Equador, 1988), além do curso.

Docência de cursos especiais para Professores de Física: Primeiro curso de Física “PSSC” dado no Brasil, de âmbito nacional; com corpo docente nacional, tendo como professor; visitante o físico estadunidense Philip Morrison (Bomba A), na PUC do Rio, em 1963. Nessa ocasião coube ao professor a tradução das palestras do professor visitante; Docência integral do curso de Física “PSSC” para quarenta professores de todo o Brasil. O curso de longa duração (duas semanas) foi feito em regime de tempo integral, no Instituto de Química da USP, em 1967; docência do curso “Harvard Project Physics”(HPP) , dado por corpo docente integrado por dois professores estadunidenes e dois brasileiros. Tomaram o curso quarenta professores de Física de todas as regiões do Brasil. O curso foi realizado no Instituto de Física da USP, em regime de tempo integral e internato em 1970, com corpo docente de quatro professores dos quais dos brasileiro (unidades de Astronomia e Mecânica); docência do primeiro curso de Astronomia, dado com os textos, método e utilizando o “planetário de pobre”, o curso foi ministrado no CECINE, na Univ. Federal de Pernambuco, em 1970, para professores de dos três níveis de ensino.

Cursos e conferências no Brasil: dezenas de cursos, conferências e seminários, realizados em grande número de cidades e em diferentes Estados do Brasil. Os convites e patrocínios foram de Universidades e secretarias de Educação, municipais e estaduais. A atividades aqui referidas estão em parte relacionadas no livro “A Terra em que vivemos”, Ed. “Átomo& Alínea(Campinas); “Que é Astronomia”, Editora Brasiliense, São Paulo; Rio de Janeiro,RJ.Belo Horizonte,MG, Ipatinga,MG, Salvador,BA; Feira de Santana,BA, Ilhéus,BA, Jequié,BA, Itabuna,BA, Vitória da Conquista,BA, Camaçarí,BA, Russas,CE, Limoeiro do Norte,CE, Campina Grande,PB, Maceió,AL, Natal,RN, Blem,PA, Macapá,AP Porto Velho,RO, Curitiba,PR, Londrina,PR, Cascavel,PR, Ijuí,SC, Porto Alegre,RS, Campo Grande,MS, Cuiabá,MT, Brasília,DF, São Paulo,SP, Campinas, Jundiaí,SP, Itatiba,SP, Piracicaba,SP, Poços de Caldas,MG, Varginha,MG; Pouso Alegre,MG, Presidente Prudente,SP, São Carlos,SP; Série de conferências sôbre o cometa de Halley, nas cidades de Rio Preto (SP), Araraquara (SP) e Baurú (SP), para alunos e professores das escolas públicas daquelas cidade com patrocínio da CPFL (1986).

Docência de outros cursos especiais: Astronomia para engenheiros (8 horas), dado na USF (Universidade São Francisco), em Itatiba,SP, em 1978; Astronomia e Navegação) vários entre 1994 e 2000); Navegação costeira (“Mestre”), para alunos que já passaram pelo Navegação por satélite (GPS), para alunos de cursos de navegação; Curso introdutório de navegação (arrais amador); Navegação Astronômica para candidatos à habilitação de “capitão amador”(exame da Marinha).

Principais publicações em forma de livros: “Um Projeto Brasileiro para o Ensino de Física”, IFUSP; “O céu”, Editora Atica , São Paulo; “As linguagens da Física”, Editora Atica , São Paulo; “Com (ns)Ciência para Educação”, Editora Papirus; “A Terra em que vivemos”, Editora Átomo; “Que é Astronomia”, Editora Brasiliense; um capítulo do livro mundial da UNESCO, publicado em vários idiomas da ONU, intitulado: ”Innovations d´ans L’énseignement des Sciences et de la Technologie.”; texto e roteiro do filme “ Sistema Solar”, feito para o MEC, editado e distribuido em escala nacional por aquele órgão oficial(1972).

Outras publicações: Texto e roteiro do filme “Estrelas e Universo”, feito para o MEC, editado e distribuido em escala nacional por aquele órgão(1972); Coleção de dez livretes com textos e legendas de dez diferentes assuntos destinados ao ensino de Física que foram editados pelo MEC, em 1972; “A Energia que recebemos do Sol”: audiovisual com livrete, texto gravado em “cassete” e 35 “slides”; “O Homem e a Terra”: audiovisual constando de livrete, texto gravado em “cassete” e 35 “slides”; “Joãzinho da Maré”, peça de teatro, em três atos e um debate, destinada levantar os maiores equívocos sobre conceitos relacionados à Astronomia e disseminados pela escola fundamental; “Caminhos”, pronto mas ainda inédito; “Nossa Escola quase Inútil”, pronto mas ainda inédito.

4 comentários:

Alcides Ladislau Acosta disse...

É uma enorme satisfação ver reconhecidos e homenageados com o título de "Cidadão Campineiro" esses três personagens que há muito fazem parte da vida cultural desta nossa Princesa d'Oeste. De fato, os professores Rodolpho Caniato e Regina Marcia Moura Tavares, e o tenor José Soares de Marialva, ofereceram a Campinas o melhor de sua cidadania, de seu civismo, de sua inteligência e preparo intelectual, habilitando-se portanto com méritos para entrarem para a galeria de Cidadãos adotivos de Campinas. Nossos cumprimentos a todos e, também, ao Pro-Memória que tem aumentado continuamente este painel histórico deste nosso torrão paulistano.

Anônimo disse...

João Marcos,

Conheço o Professor Rodolpho Caniato desde 1973. E também todos os filhos dele. O ensino da Fisica no Brasil deve muito a ele.

Carlos Roberto

Avila disse...

Há alguns bons anos fiz o curso de Arrais e quem nos ensinou navegação foi o prof. Rodolpho. Na ocasião ganhei dele o seu livro "O que é Astronomia". Meu Deus como o professor é humilde, agora que acabo de conhecer, através desse presente de Deus que é o blog Pró-memória, percebo isso, pois na ocasião ele se apresentou de maneira tão modesta. Agora cidadão campineiro: como ele merece!
Uma grande alegria em saber tudo isso
W. Avila
http://www.i-coaching.com.br

Francisco Villa Nova Neto disse...

Tive a oportunidade de fazer um curso de férias com o prof. Rodolpho no ano de 1976, na cidade de S. Carlos. Muito aprendi com o professor, principalmente pela sua humildade e generosidade, lembro-me inclusive que ele ficou hospedado na república de um dos colegas pois, infelizmente a Universidade não nos ofereceu verbas para esse fim. Quanto dos conhecimentos adquiridos naquele curso pude repassar para meus alunos. Obrigado Mestre. Hoje me encontro em Sorocaba e fico feliz que a cidade de Campinas o tenha reconhecido como seu filho, merecidamente.